Pagina Principal do Site
Grazie a Dio
Webmail

 

 

 

 

 

 

 

Revista Contigo Entrevista a Diva Paula Lima! -
Noticia postada em: 02/12/2009  17:23



Diva
Antes de qualquer pergunta, que salto agulha é esse que você usa em seus shows?
Adoro meus saltos, coisas de mulher. Me sinto mais feminina e elegante. No show, não dá para descer do salto.

O que a parceria com Thaíde e DJ Hum em Sr. Tempo Bom rendeu de frutos?
Foi um período muito gratificante. Cantei com Thaíde e DJ Hum quando ainda fazia parte do Funk Como Le Gusta (FCLG) e trabalhava no Tribunal de Justiça, cursava Direito no Mackenzie e gravava muitos jingles. Com eles, conheci o hip-hop da melhor qualidade, viajei pelo Brasil e aprendi muito. Meu conhecimento musical se multiplicou. Estive em Cannes com a dupla, foi minha primeira viagem à Europa! Sr. Tempo Bom tornou-se um estouro nacional. Foi a primeira música em que ouvi minha voz ecoando e o público entoando por todo o Brasil! Agradeço por isso também!

O que o Jorge Benjor representa no seu trabalho?
Benjor é minha grande influência! Desde pequena fico babando por tudo o que ele faz. Sua sonoridade, seu balanço e suas letras mexem profundamente comigo. Sou fã de carteirinha do artista e adoro o Jorge como pessoa. O que tento sempre explicitar no meu trabalho e que vai ao encontro do que ele tem é a brasilidade cheia de suingue ao mesmo tempo urbana e contemporânea!

Como começou a amizade entre vocês?
Conheci o Jorge quando fiz parte do Grêmio Recreativo dirigido pelo Skowa que justamente nessa época foi chamado para produzir duas faixas do CD 23 do Jorge, isso mais ou menos em 96. Lá, nos encontramos e eu fiquei estática diante dele. Nossa real amizade começou quando resolvi gravar uma das minhas paixões, a música Meu Guarda-Chuva. Estava fazendo um show em São Paulo e ele apareceu de surpresa! Depois disso ganhei música inédita para gravar no meu primeiro solo, É Isso Aí, e perdi a conta de quantas vezes estivemos no mesmo palco! Tenho profundo carinho pelo meu e nosso genial Jorge!

No seu show você já sabe como as pessoas vão responder fisicamente a suas músicas. Como escolhe esse repertório tão orgânico?
Que delícia ouvir isso! Muito obrigada! Esse é o intuito! Espero que seja sempre assim! Você definiu muito bem minha música... orgânica! Não é muito diferente da maneira como escolho o repertório. Preciso dessa pulsação, e a coisa tem que ser visceral! Gosto de atitude, pressão e gosto da posição da mulher urbana, contemporânea, forte e feminina.

Da onde vem esse suingue todo? Você tocou piano erudito durante anos...
Do Brasil! Sou brasileira, negra e despudorada em relação a qualquer som que faça feliz!

Seu primeiro disco solo veio quando você tinha 30 anos de idade. O que sentiu que mudou da estreia solo para hoje?
Amadurecimento!

O que mais te agrada no DVD SambaChic?
Hummm... tudo!!! Sou completamente apaixonada por ele, por sua magia, suas músicas, os arranjos, a banda, a estética, as cores, o público... até suspirei... foi um momento mágico!

Você tem uma voz maravilhosa. Como faz para cuidar dela?
Muito obrigada! Tenho uma vida bem normal. Evito tomar coisas geladas, mesmo no verão, no máximo uma pedrinha de gelo. Não bebo (porque gosto de tudo docinho e também porque gosto de manter o controle) e não fumo. Bebo água e atualmente faço aulas de técnica vocal quinzenalmente.

Você é dona de diversos hits. Meu Guarda Chuva te acompanhou por muito tempo. Mas pelo visto você não criou nenhuma rejeição à canção, como Los Hermanos por Ana Julia, por exemplo. Alguma vez você ficou chateada por te pedirem para cantar essa música?
Amo Meu Guarda-Chuva! E é tão verdadeiro que canto desde que tinha 13 anos! É um tremendo orgulho, foi meu primeiro hit, e o compositor é o meu querido Benjor! Só tem coisas a favor (risos)! E mais, é uma música que tem Tudo a ver comigo: é um samba moderno, um balanço, um samba-rock de primeira e fala da mulher que sabe se impor de uma maneira muito bem-humorada... sou eu (risos)!

Que cantores você escuta em casa?
Adoro ouvir os parceiros: Zélia, Mart’nália, (Seu) Jorge, Arlindo, D2...

Como lida com o adjetivo Diva?
Hoje, acho o maior barato. Me sinto como as divas de Hollywood da década de 40, das quais eu sempre fui mega fã. Vejo como um adjetivo que significa: mulher que sabe o que quer...

Tem uma música do seu show de um compositor mineiro que fala que seremos jovens por dentro. Como vê a chegada dos 40 anos?
A música é Negras Perucas, de Nilo Pinheiro e Marcus Vinícius. Desde a primeira vez que a ouvi me identifiquei pela leveza, pela maturidade e pelo reconhecimento de si mesmo. Daqui a dois anos faço 40 anos. Nunca me senti tão bem, segura e madura. Ainda vou melhorar. Quarenta anos é a idade da ampla visão, do reconhecimento, da conquista, de começar a olhar o início das realizações, da real formação familiar (no meu caso pelo menos), de planejar com inteligência sem grandes loucuras e de se deparar com uma infinidade de pessoas bacanas na mesma faixa etária ou mais velhas que pensam exatamente da mesma forma. O mundo se torna mais compreensível.

Ídolos

Você teve muitos parceiros musicais. Faria parceria com qualquer personagem da música brasileira? Sonha em cantar com alguém?
Faria e faço parcerias com pessoas com as quais me identifico e que há química. Gosto de música, de gente, de som, de surpresas, de batidas sonoras. Sonhos??? São muitos. Vou sonhar mais um pouco e chegar a algumas conclusões...

Como jurada do Ídolos, dá para ver que você se emociona com alguns candidatos. Como é para você dar o veredicto quando a pessoa não canta nada?
Alguns candidatos são realmente muito especiais! Hoje dói um pouco menos dar um não, entendo que isso faz parte da história, e a pessoa também sabe que é o risco do negócio.

Muitas daquelas pessoas gostariam de cantar como você, de ser famosa como você. Você sente essa responsabilidade quando está frente a frente com elas?
Sinto a responsabilidade de ser justa, de estar atenta a cada detalhe de cada um que chega e de entregar o melhor para o Brasil.

Amor
Como é a relação entre você e o seu marido Ronaldo Bonfim? É você quem manda em casa?
Temos uma ótima relação. Existe amor, respeito, sintonia, torcida e admiração! Ele é um cara superbacana e muito inteligente! Me sinto abençoada! Temos uma relação equilibrada em todos os sentidos, em casa também!

Seu marido pede para você cantar para ele? Um showzinho particular?
Engraçado... não me lembro dele pedir nada... eu já canto bastante em casa e fora. O melhor é que ele não pede para parar (risos).

Você dois conversam sobre ter filhos?
Conversamos, sim. Adoro criança, e se Deus quiser, quando a poeira baixar, teremos a nossa ou o nosso filho!

Vaidade
Em que fase da sua vida você fez a tatuagem que tem no peito? O que significa?
(Risos) Comecei a brincar disso ainda na época do Thaíde, por achar que só brincos e pulseiras não eram o suficiente. Dei o significado do que mais acredito: Paz e Amor!

Como faz para cuidar do corpo e aparecer com aqueles macacões justíssimos?
Ai Meu Deus! Cuido da boca (risos)! Adoro comer coisas realmente boas e geralmente são perigosas. Estou em eterna dieta e eternamente fujo dela. Enfim, fechando a boca e malhando, emagreci bem. Adoro drenagem linfática e massagem modeladora. Começo agora a hidromassagem e estou superansiosa. E tomar sol é um bom truque. Mas sempre com moderação e cuidados com a pele.

Depois de muito tempo, você mudou o cabelo. Enjoou das tranças?

Foi tudo tão natural, fui para a Bahia de férias e me liguei que queria curtir o mar e a piscina, diante disso soltei o cabelo, e não é que ficou bom? Vi que poderia ter mais possibilidades assim, além do que, tive tranças durante nove anos, estava na hora de mudar, mesmo que sem querer...

Você faz a própria maquiagem? Como aprendeu o que fica e o que não fica bem em você?
Adoro maquiagem e me divirto com ela, sempre brinco que, se não fosse cantora, seria maquiadora. Faço minha própria maquiagem, mas não sou tão vaidosa quanto parece, me preocupo mesmo em me apresentar bem também nesse sentido para as queridas pessoas que me seguem. No dia a dia, praticamente não uso nada. Tem dias em que me sinto bonita, outros não, e ok, faz parte. Aprendi a me maquiar... acho que observando e conhecendo bem meus traços... às vezes brinco com minhas primas e me torno maquiadora.

Fonte:
http://contigo.abril.com.br/entrevista/paula-lima-500159.shtml?ft=2p



Postado por:
Reginaldo Gonçalves


 
    Ãrea Restrita Estatisticas do site
 
  
Academias
 
Bandas
Casas Noturnas
Parceiros
Bandas
Bandas
Bandas
Bandas
Bandas